Ayahuasca – do ponto de vista espiritual

Ayahuasca – do ponto de vista espiritual 

*Este texto não tem o intuito de criar polêmica, julgar ou reprimir a utilização deste chá. Existem relatos sobre uma possível melhora nos corpos físicos, emocionais e mentais daqueles que fizeram uso desta substância. Aqui falarei somente sobre o que ocorre no corpo etérico durante a sua utilização.

Ayahuasca é a separação entre o corpo e o espírito. Além de abrir a barreira do inconsciente e acessar memórias, traumas e facilitar confissões e perdões, ela também abre uma barreira espiritual. Pode ser comparada à uma experiência de pré-morte, que pode trazer cura, limpeza e leveza emocional. 

Enquanto acontece esta cura e renovação destes três corpos que chamamos de físico, emocional e mental, acontece a libertação do corpo etérico, ou corpo espiritual. O corpo etérico é como se fosse desgrudado dos outros corpos e liberado para partir.

Quando desgrudamos o corpo etérico dos outros corpos, acontece o que podemos chamar de viagem astral, desdobramento, ou simplesmente “sair do corpo”. Isso pode acontecer de forma consciente, com propósito, ou de forma induzida

A ayahuasca promove a indução da retirada do corpo etérico. Esta indução é caracterizada pela aceitação do indivíduo em libertar o seu espírito. Esta aceitação geralmente acontece com corpos espirituais que já estão cansados, desmotivados e descontentes com a vida atual. Com esta aceitação, acontece a oferta do espírito. O indivíduo oferece o seu espírito como forma de pagamento pela cura dos outros corpos. É como se fosse uma troca. Esta troca acontece entre o indivíduo que busca pelo ritual e os espíritos que se apresentam no local. 

Os espíritos envolvidos podem variar, de acordo com os mestres que estão conduzindo o ritual. Geralmente são espíritos de xamãs, que são aqueles que podem oferecer alguma cura. Podem ser também outros espíritos, dependendo do local onde o chá é tomado. 

Quando ocorre a libertação do corpo etérico, o campo áurico é aberto, e dá espaço a outro espírito entrar. A sensação de libertação ou de renovação após a utilização da substância acontece justamente por conta da troca de espírito. 

Conforme as pessoas vão utilizando mais e mais vezes o Ayahuasca, mais cura ela pode receber a nível físico, emocional e mental, como também mais troca de espíritos no campo etérico. Quando o espírito cansa do corpo o qual ele está, ele aceita a troca e busca por ela.

Para esta desistência espiritual acontecer, é preciso permissão da alma que está encarnada. Esta alma, conferiu permissão ao mestre ou aos espíritos do local para que levassem seu espírito, concedendo o seu corpo etérico como residência a um próximo espírito. 

Esta alma, então, aceita a troca de espírito. E assim, ocorre a separação entre o corpo e o espírito. Crises de personalidade, alteração no humor ou bipolaridade são sintomas básicos daqueles que aceittaram esta troca espiritual. 

O ritual da Ayahuasca não é a única forma que existe para acontecer esta desistência espiritual. Outros locais, outras drogas e outros mestres podem oferecer a mesma experiência. 

A prática do Ayahuasca é espiritualmente ilícita, e não atua em acordo com leis universais e preceitos Crísticos, causando aos indivíduos karma por desistência e fraqueza espiritual. Geralmente acontece com pessoas que estão com muita dificuldade de assumir as dificuldades impostas pela vida. Pessoas que já tem karma diante de alguma adversidade e optam pela desistência espiritual, podem frutificar o karma e torná-lo mais evidente para a próxima encarnação, se assim houver. 

Os xamãs e espíritos envolvidos nos rituais de Ayahuasca são geralmente seres que buscam corpos para encarnar ou corpos para dominar. Estes seres são apegados à Terra e ao poder e geralmente não querem subir para o seu juízo final, e assim continuam no plano material, burlando assim, as leis divinas. Eles utilizam dos seus dons de cura e de magia para conquistar as almas encarnadas. Eles oferecem alívio emocional, físico ou mental em troca de uma conivência espiritual.   

É uma prática que infelizmente ainda acontece no plano físico, mas que em breve deverá ser extinta, com a chegada de seres de luz na Terra que saberão o que devem fazer. Estes seres que praticam estas facilitações espirituais serão cassados e encaminhados para julgamento. As almas inocentes serão libertadas e as almas consideradas culpadas serão encaminhadas para ensino e reabilitação. O karma oferecerá cura e transformação àqueles que se submeteram ao erro. 

Aos que já fizeram o uso da substância é recomendado que desenvolvam a fé e a gratidão. Se os sentimentos forem elevados, e as práticas forem de compaixão e caridade, é possível que o karma já seja contabilizado nesta mesma vida. Ser grato à vida que se tem, às facilidades recebidas, e até mesmo às dificuldades que trouxeram aprendizado. A elevação do espírito quando em oração pode trazer a iluminação dos corpos inferiores e o fechamento da aura. 

E aos que buscam cura espiritual, o recomendado é que se busque oração, fé, amor e discernimento, para que não desistam desta encarnação. Práticas de limpeza energética, conexão com anjos, arcanjos e grandes seres de luz devem ser utilizadas. Médius precisam desenvolver a mediunidade de forma orientada, com paz, amor, ritmo e constância. O desespero e o desequilíbrio emocional desencadeiam doenças espirituais com frequência. Terapias que acolhem, que transformam e que orientam são essenciais aos buscadores da cura. Manter o corpo físico vivo, o corpo emocional equilibrado, o corpo mental calmo e o corpo etérico elevado são as grandes chaves para a felicidade. 

Quando a humanidade desenvolver a fé, os corpos etéricos estarão mais bem cuidados e alinhados. É a falta de fé que faz com que as pessoas façam escolhas erradas. 

Mas sempre é tempo de se alinhar, de se recuperar, e de acreditar. 

Se você não dá valor à vida que tem, outros espíritos podem se interessar em utilizar o seu corpo. Mais atenção, dedicação, amor, fé e mais devoção. 

Mariana Walter

03/01/2022